//SALETE SILVA// Grupo Chedid agora é o "dono" de partido bolsonarista em Serra Negra

Tiago Jardim, nas redes sociais: PL agora é dos Chedid


O prefeito Elmir Chedid aderiu definitivamente ao bolsonarismo. O grupo político liderado pela família Chedid é o novo comandante na cidade da principal legenda bolsonarista, o Partido Liberal (PL), do ex-presidente Jair Bolsonaro. 

A legenda que pertencia ao grupo da oposição liderado por Marco Bueno (Republicanos) veio parar nas mãos de Chedid por meio de negociação entre o deputado estadual Edmir Chedid, irmão do prefeito de Serra Negra, Elmir Chedid, e o presidente do PL, Valdemar da Costa Neto.

Tiago Jardim anunciou sua renúncia à presidência do PL de Serra Negra nesta quarta-feira, 3 de abril, em vídeo publicado em suas redes sociais, e acusou o prefeito Elmir Chedid de roubar a legenda da oposição sem nunca ter sido aliado do ex-presidente nem assumido seu alinhamento ideológico com Bolsonaro. 

O prefeito, no entanto, já havia manifestado seu lado bolsonarista ao anunciar seu apoio à candidatura de Jair Bolsonaro e ao governador Tarcísio de Freitas, no segundo turno das eleições de 2022 em vídeo compartilhado em suas redes sociais.

A perda da legenda para o grupo Chedid foi um golpe duplo para Marco Bueno, que pretendia deixar o Republicanos e se filiar ainda esta semana no PL para concorrer pela legenda bolsonarista à Prefeitura de Serra Negra nas eleições municipais.

A legenda foi retirada de Bueno pelo presidente do PL estadual, José Tadeu Candelária, em cumprimento do acordo firmado entre Valdemar da Costa Neto e o deputado estadual Edmir Chedid. A intenção do grupo Chedid, avaliam correligionários de Bueno, era retirar a legenda do PL da oposição só em  junho, quando não daria mais tempo para Marco Bueno se filiar a outro partido e concorrer às eleições. Bueno recuou na desfiliação do Republicanos e filiação ao PL. 

Procurado pela reportagem do Viva! Serra Negra, Rodrigo Demattê, chefe de Gabinete do prefeito Elmir Chedid e articulador político do grupo Chedid, não respondeu ao questionamento sobre o assunto.

A mudança de comando do PL em Serra Negra reflete o enfraquecimento do ex-presidente Jair Bolsonaro dentro da legenda depois da divulgação dos depoimentos de comandantes das Forças Armadas e de ex-assessores seus, que o envolvem na articulação e em especial na produção da minuta da tentativa de golpe contra a democracia de 8 de janeiro. O PL é alvo de processos de cassação que denunciam o uso da infraestrutura do partido para a organização do golpe.

A nominata para a criação do PL em Serra foi concedida ao grupo da oposição a Chedid no ano passado, segundo Marco Bueno pelo próprio Bolsonaro, que teria enviado esta semana um áudio  para se solidarizar com Bueno e confirmar seu apoio à sua candidatura nas eleições municipais. 

--------------------------------

Salete Silva é jornalista profissional diplomada (ex-Estadão e Gazeta Mercantil) e editora do Viva! Serra Negra


       

Comentários

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários são bem-vindos. Não serão aceitos, porém, comentários anônimos. Todos serão moderados. E não serão publicados os que estimulem o preconceito de qualquer espécie, ofendam, injuriem ou difamem quem quer que seja, contenham acusações improcedentes, preguem o ódio ou a violência.